À luz do Pantanal

Ao final do dia, o sol vai se escondendo com dificuldade na vasta planície, deixando um rastro de rara beleza no Pantanal.

Entardecer na planície pantaneira.

Quando as aves voam os mesmos caminhos em direção às mesmas árvores para passar a noite e disputam um galho mais firme, onde em breve adormecerão, quando as pererecas começam a ser ouvidas e as aves diurnas se calam, é sinal que o sol está prestes a dormir no Pantanal também.

É o pôr-do-sol que começa a mostrar cada nuance de seu adeus para o início da noite. À primeira impressão, suas cores são tímidas, mas de repente uma coloração quente alaranjada brilha no céu, formando riscos escuros em lindas camadas. É quando as nuvens realçam as curvas de um pôr-do-sol, criando formas de beleza intangível. Somente mais alguns minutos de apreciação restam, e as cores vão se transformando em tons frios azulados, nos fazendo perceber que alguém realmente desenhou o céu e pincelou as cores de forma divina. Esse é um entardecer à luz do Pantanal.

Pôr do sol no Refúgio Ecológico Caiman.

As nuances do céu.

Pousada Caiman respeitando o meio ambiente

Foi finalizada a primeira análise bioquímica da E.T.E. (Estação de Tratamento de Efluentes) no Refúgio Ecológico Caiman.

Estação de Tratamento de Esgoto na Pousada Caiman

Sempre focando na conservação do Pantanal e buscando desenvolver o ecoturismo com as melhores práticas de mínimo impacto, a Pousada Caiman construiu uma Estação de Tratamento de Esgoto e designou um gestor ambiental para operar e manter controle do funcionamento.

Com o tratamento, a água de toda a pousada, que é captada em poços, utilizada por hóspedes e funcionários e enviada ao sistema, retorna ao meio ambiente sem agredi-lo. Uma ação em direção à sustentabilidade.

Há 30 dias atrás foram feitas as análises biológicas e químicas do esgoto tratado por um laboratório contratado. Os técnicos fizeram coletas em diferentes pontos, analisando diversos parâmetros, como pH, óleos, matéria orgânica e bactérias. E os resultados foram ótimos, com tratamento adequado do esgoto e dentro dos parâmetros da lei.

Coleta de amostra da Estação de Tratamento.

Técnico adicionando reagentes à amostra.

O início das chuvas e os Cupins Alados.

A estação chuvosa no Pantanal traz consigo a fantástica reprodução dos cupins.

Em novembro as chuvas chegam ao Pantanal e se estendem até o mês de março. Logo depois de 2 dias, toda a paisagem, que parecia estar morta, renasce com o exuberante verde das plantas.

Muitas flores brotam, sementes germinam e muitos insetos começam o período de reprodução. Durante o final da tarde milhares de insetos levantam vôo, disputando nossa atenção com o belo pôr-do-sol.

Cupim alado em época reprodutiva.

Na época de reprodução, muitas espécies de cupins desenvolvem asas e logo após a chuva, explodem em uma revoada de acasalamento e formação de novas colônias.

Cupins possuem uma sociedade sofisticada em diferentes castas, com funções específicas e tipos de corpos correspondentes. Cupins machos e fêmeas alados da casta reprodutiva são produzidos nessa época do ano de chuvas, saem dos ninhos e seus vôos varrem grandes áreas. Após copularem, perdem as asas e dispersam para fundar outra colônia com uma nova rainha.

Existem outras formas, como a casta de operários. São cupins estéreis responsáveis por procurar comida e pela construção de ninhos e túneis. Outro exemplo é a casta de soldados, que são cupins com grandes mandíbulas, úteis para a defesa da colônia.