Dia internacional da mulher

A onça-pintada chamada Chuva e seu filhote.

No dia internacional da mulher, o Refúgio Ecológico Caiman gostaria de prestar homenagem às mulheres de uma maneira diferente. Uma forma mais relacionada ao modo de vida de uma fazenda no Pantanal e ao meio ambiente onde ela se encontra.

Dessa forma, com um vídeo sobre a fauna silvestre da Caiman tentaremos atingir esse objetivo. Às vésperas de outra campanha do Projeto Onçafari no Refúgio Ecológico Caiman para a captura e monitoramento de novas onças-pintadas, a onça matriarca que iniciou o trabalho do projeto faz uma aparição inédita.

A primeira onça-pintada capturada recebeu o nome de Chuva e após 4 meses da campanha e monitoramento de sua área de vida, essa linda fêmea aparece em uma de nossas armadilhas fotográficas. Ela já apareceu muitas vezes, mas no dia 01 de março, mês das mulheres, a Chuva surpreende a todos quando pára bem em frente à câmera e logo em seguida é acompanhada por seu pequenino filhote.

A Chuva não é uma mulher, é apenas uma onça, mas é fêmea e agora é mãe. Essa é a nossa maneira pantaneira de lembrarmos de um dia muito importante: o Dia Internacional da Mulher.

Autor: Helder Brandão (gestor ambiental)

Habitantes da noite

Jaguatirica (Leopardus pardalis)

O Pantanal abriga um número impressionante de espécies de animais e muitos não são vistos por terem hábitos noturnos. Os felinos são especialistas em camuflagem, sendo imperceptíveis ao olhar desatento. Sua pelagem possui padrões de cores que mimetizam o ambiente onde vivem. Ao andar pela mata, os felinos são mestres em ouvir o mais simples ruído e simplesmente desaparecer ao menor sinal de perigo. Suas patas possuem uma macia estrutura que chamamos popularmente de “almofadas” e permitem que esses incríveis animais caminhem em completo silêncio pela mata mesmo sobre folhas secas.

Com a chegada da noite, um dos habitantes mais raros de se ver é a jaguatirica. Imagine a raridade da foto acima em plena luz do dia, completamente tranquila e se refrescando em uma poça de água. Animal com pintas pretas bem marcantes, sua coloração amarelada cobre as partes superiores enquanto a cor branca predomina na região ventral do corpo e as pintas desaparecem.

Distribui-se desde o sul dos Estados Unidos até o norte da Argentina e são bem distribuídos pelo território brasileiro, sendo encontrados em uma grande gama de habitats desde florestas tropicais como a Amazônia, passando por planícies alagadas, como o Pantanal e até em regiões muito áridas, como a Caatinga.

As jaguatiricas podem pesar até aproximadamente 15 kg e seu período de vida pode atingir 20 anos em cativeiro, sendo que na natureza esse período deve ser menor. A gestação dura em torno de 80 dias, nascendo de 1 a 4 filhotes. Alimentam-se principalmente de pequenos mamíferos, aves, répteis e anfíbios. A jaguatirica é rápida, silenciosa e animal especialista dos habitantes da noite.

Autor: Helder Brandão (gestor ambiental)